Procuradora do Peru pede US$61 mi de acusados de receber propina da Odebrecht

LIMA (Reuters) - Uma procuradora do Peru solicitou nesta sexta-feira a uma corte judicial que ordene que vários acusados de receber propina da construtora Odebrecht, entre eles o ex-presidente do país Alejandro Toledo, pagem uma reparação civil de 200 milhões de soles (61 milhões de dólares).

Em uma audiência judicial, a procuradora pública ad hoc Katherine Ampuero pediu que o pagamento seja feito por Toledo, o ex-chefe da Odebrecht no Peru Jorge Barata e outros funcionários que estão presos por acusações de corrupção no processo de concessão do metrô de Lima.

Um representante da Odebrecht se recusou a comentar.

"O dano não patrimonial contra o Estado, a sua imagem e a institucionalidade do país, é incalculável", disse Ampuero à corte.

Toledo é acusado de receber 20 milhões de dólares da Odebrecht em troca da concessão de dois trechos da rodovia Interoceânica. O ex-presidente estaria na cidade norte-americana de San Francisco, enquanto a justiça local busca sua extradição.

Como parte de um acordo judicial nos Estados Unidos, a Odebrecht reconheceu em dezembro pagamentos de 29 milhões de dólares para obter contratos de obras públicas no Peru entre 2005 e 2014, durante os governos de Toledo, Alan García e Ollanta Humala.

Os três ex-presidentes refutam as alegações.

(Reportagem de Teresa Céspedes)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos