Jordânia anuncia execução de 15 pessoas, sendo dez por terrorismo

Por Suleiman Al-Khalidi

AMÃ (Reuters) - A Jordânia executou 15 pessoas neste sábado, incluindo dez condenadas por terrorismo, incluindo um ataque realizado contra turistas ocidentais há dez anos e o esfaqueamento de um escritor, anunciaram o porta-voz do governo, Mohammad al Momani, e uma fonte judicial.

    Al Momani afirmou que, entre os executados, está um homem condenado pelo ataque a um complexo de inteligência no ano passado, em ato que deixou cinco mortos.

    Outros cinco condenados se envolveram em um ataque das forças de segurança a um reduto de militantes na cidade de Irbid, que deixou sete militantes e um policial mortos. O crime mais antigo cometido pelos executados data de 2003.

    Esse foi o maior número de executados em um só dia na história recente do país, de acordo com uma fonte judicial.

    O grupo de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional condenou os enforcamentos, dizendo que eles foram realizados “em segredo e sem transparência”.

    No passado, a Jordânia evitava executar presos políticos e chegou a suspender penas de morte dadas a fundamentalistas islâmicos por terrorismo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos