Juppé descarta concorrer à Presidência da França e diz que país está doente

Por Claude Canellas e Brian Love

BORDEAUX/PARIS (Reuters) - O ex-premiê francês Alain Juppé disse nesta segunda-feira que decidiu "de uma vez por todas" não concorrer na eleição presidencial francesa, acabando com as esperanças de muitos membros de seu partido conservador que temem a derrota do atual candidato da legenda devido a um escândalo.

Juppé chamou o criticado candidato de seu partido François Fillon de obstinado em sua determinação de continuar na disputa apesar das pesquisas de intenção de voto que mostram sua derrota ainda no primeiro turno das eleições, mas não ofereceu um plano alternativo.

O resultado ruim de Fillon nas pesquisas beneficiou o centrista e atual favorito Emmanuel Macron, que deve enfrentar no segundo turno de 7 de maio a líder de extrema-direita Marine Le Pen. As pesquisas mostram que, caso Juppé fosse candidato, chegaria confortavelmente ao segundo turno.

"Nosso país está doente", disse Juppé em entrevista coletiva em Bordeaux, cidade do litoral oeste da qual é prefeito. "Para mim é tarde demais, mas não é tarde demais para a França", disse o ex-premiê, de 71 anos.

((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos