Senadores pedem ao governo evidências de que Obama grampeou Trump

Por Richard Cowan

WASHINGTON (Reuters) - Dois importantes senadores pediram ao FBI e ao Departamento de Justiça nesta quarta-feira qualquer informação que eles tenham relacionada à declaração não fundamentada do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de que o seu antecessor, Barack Obama, havia o grampeado durante a campanha presidencial de 2016.

Em carta para James Comey, diretor do FBI, e o vice-secretário de Justiça, Dana Boente, o republicano Lindsey Graham e o democrata Sheldon Whitehouse escreveram:

"Nós pedimos que o Departamento de Justiça nos forneça cópias de qualquer pedido de mandado e ordem judicial relacionados com grampos do presidente Trump, da campanha Trump ou da Trump Tower.”

Pela lei norte-americana, presidentes não podem grampear diretamente. O governo federal pode pedir a uma corte a autorização para a ação e, para isso, deve fornecer justificativa.

Perguntado nesta quarta-feira se Trump era objeto de uma investigação, Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca, respondeu: “Não há razão para termos que pensar que o presidente é alvo de alguma investigação”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos