Investigadores dizem que ameaças a grupos judaicos nos EUA e Reino Unido estão ligadas

Por Mark Hosenball

WASHINGTON (Reuters) - A Scotland Yard e o FBI estão investigando mais do que 100 ameaças de bomba feitas contra grupos judaicos no Reino Unido e nos Estados Unidos desde 7 de janeiro, afirmaram autoridades de segurança e representantes da comunidade judaica dos dois países.

Investigadores disseram que há evidências de que algumas ameaças de bomba no Reino Unido e nos EUA estão ligadas. De acordo com pessoas nos dois países que ouviram gravações das ameaças, a maior parte delas foi feita pelo telefone por homens e mulheres com sotaque norte-americano, cujas vozes foram distorcidas eletronicamente.

Diferentes ondas de ameaças contra grupos judaicos nos EUA, incluindo centros comunitários, escolas e escritórios de organizações nacionais, têm sido seguidas horas depois por ondas semelhantes, mas menos intensas, no Reino Unido, disseram representantes das comunidades judaicas nos dois países.

Autoridades do FBI em Washington confirmaram que a agência está investigando as ameaças contra organizações judaicas nos EUA.

Fontes da comunidade judaica no Reino Unido disseram que a polícia de Londres, também conhecida como Scotland Yard, está conduzindo a sua própria investigação e colaborando com o FBI.

A Scotland Yard não respondeu de imediato a um email pedindo para que comentasse a informação.

Algumas das ameças mais recentes foram feitas na terça-feira em Atlanta, Boston, Nova York e Washington. Sean Spicer, porta-voz da Casa Branca, declarou que o presidente Donald Trump “continuaria condenando (as ameaças) e examinando maneiras para pará-las”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos