EUA dizem que estratégia sobre Coreia do Norte foca em sanções e segue aberta a negociações

WASHINGTON (Reuters) - A estratégia do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sobre a Coreia do Norte visa pressionar Pyongyang a desmantelar seus programas de mísseis nucleares e balísticos ao impor sanções, e Washington está aberto a negociações, disse o governo Trump nesta quarta-feira.

A postura dos EUA, que parecia indicar uma disposição para esgotar as opções não-militares, foi apresentada em um comunicado após um briefing incomum na Casa Branca para todo o Senado.

O documento descreveu a Coreia do Norte como "uma ameaça de segurança nacional urgente e prioridade de política externa".

"Os Estados Unidos buscam estabilidade e a desnuclearização pacífica da península coreana. Continuamos abertos às negociações para alcançar esse objetivo. Porém, continuamos preparados para nos defender e a nossos aliados", afirma comunicado conjunto do secretário de Estado, Rex Tillerson, do secretário de Defesa, Jim Mattis, e do diretor de Inteligência Nacional, Dan Coats.

Embora a nota enfatize a diplomacia, o senador democrata Christopher Coons disse a repórteres depois da reunião na Casa Branca que as opções militares foram discutidas.

"Foi um briefing sóbrio em que ficou claro o quanto de pensamento e planejamento está sendo alocado para a preparação de opções militares, caso solicitadas, e uma estratégia diplomática que me parece clara e bem proporcional", afirmou Coons.

(Reportagem de Phil Stewart e Steve Holland)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos