Juiz venezuelano morre a tiros em barricada; protestos continuam pelo país

CARACAS (Reuters) - Homens armados mataram um juiz venezuelano em uma barricada de rua, na mais recente fatalidade durante dois meses de protestos contra o presidente Nicolás Maduro, que deixaram ao menos 61 mortos, afirmaram autoridades nesta quinta-feira.

Nelson Moncada, de 37 anos, foi morto e teve seus pertences roubados enquanto tentava desviar de um bloqueio numa via na noite de quarta-feira, na região de El Paraíso, em Caracas, que é cenário de combates frequentes, informou o procurador do Estado.

Houve violência nas redondezas da capital na quarta-feira depois que forças de segurança separaram dezenas de milhares de simpatizantes da oposição, que protestavam em frente a prédios do governo no centro da cidade. Os conflitos continuaram durante a noite.

Os manifestantes frequentemente bloqueiam vias com lixo e pneus em chamas, algumas vezes pedindo a transeuntes por contribuições para o movimento de resistência contra o presidente Nicolás Maduro.

Não estava claro porque Moncada foi morto.

Alguns sites de notícia locais disseram que a morte estava relacionada a um assalto, enquanto outros afirmaram que Moncada havia presidido o caso controverso de Bassil Da Costa, um manifestante morto por um tiro no começo de uma outra onda de protestos contra Maduro em 2014.

(Reportagem de Andrew Cawthorne e Andreina Aponte)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos