Putin diz que mais sanções dos EUA seriam prejudiciais, mas que falar sobre retaliação é prematuro

MOSCOU (Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, disse que novas sanções que estão sendo consideradas pelos Estados Unidos prejudicariam as relações entre os dois países, mas que ainda é muito cedo para conversar sobre retaliação, informou a agência de notícias estatal RIA no sábado.

O Senado dos EUA aprovou quase por unanimidade nesta semana leis que impõem novas sanções a Moscou e forçam o presidente Donald Trump a obter a aprovação do Congresso antes de relaxar sanções existentes.

“Isto irá, de fato, complicar as relações entre Rússia e EUA. Eu acho que isso é prejudicial”, disse Putin, de acordo com a RIA.  

Em uma entrevista ao canal de TV estatal Rossiya1, cujos trechos foram exibidos durante o sábado, Putin disse que precisaria ver como a situação das sanções evoluiria.  

“É por isso que é prematuro falar publicamente sobre nossas ações de retaliação”, afirmou ele, segundo a RIA.

A Rússia e o Ocidente têm trocado revezes econômicos desde 2014, quando Moscou anexou a península da Crimeia, da Ucrânia, e apoiou rebeldes separatistas no leste da Ucrânia.

O Ocidente impôs sanções econômicas e financeiras que enfraqueceram o rublo e a economia dependente de exportações. Moscou retaliou proibindo importações de alimentos ocidentais, o que também atingiu o povo russo ao aumentar a inflação e proibindo alguns indivíduos de entrar na Rússia.

(Por Andrey Ostroukh)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos