Líder da Câmara dos EUA diz que filho de Trump deveria depor ao Congresso

WASHINGTON (Reuters) - O presidente da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos, Paul Ryan, disse nesta quinta-feira que o filho mais velho do presidente norte-americano, Donald Trump, deveria falar ao Congresso a respeito dos supostos laços do círculo íntimo de Trump com a Rússia.

"Acho que qualquer testemunha que foi solicitada a depor ao Congresso deveria fazê-lo", disse Ryan em entrevista coletiva.

O presidente do Comitê Judiciário do Senado, Charles Grassley, um republicano, pretende enviar um carta nesta quinta-feira a Donald Trump Jr. para pedir que ele testemunhe ao órgão que comanda em uma sessão pública, segundo a CNN.

Nesta semana Trump Jr. revelou que se encontrou com uma advogada russa que procurou fornecer informações prejudiciais à adversária democrata Hillary Clinton durante a campanha presidencial de 2016.

Trump Jr. concordou de bom grado em se encontrar com a advogada, que lhe disseram ser parte do apoio oficial de Moscou à campanha de seu pai, de acordo com emails que ele mesmo divulgou nesta semana.

Os emails são o indício mais concreto de que a campanha de Trump pode ter se mostrado disposta a aceitar ajuda russa para vencer a eleição, uma questão que vem eclipsando a Presidência Trump e desencadeou investigações do Departamento de Justiça e do Congresso.

Na quarta-feira Trump disse à Reuters que não culpa o filho por ter se encontrado com a advogada Natalia Veselnitskaya em junho do ano passado.

(Por Patricia Zengerle) 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos