Quatro mulheres alemãs que se juntaram ao Estado Islâmico estão detidas no Iraque, diz revista

BERLIM (Reuters) - Quatro mulheres alemãs, incluindo uma jovem de 16 anos, que se juntaram ao Estado Islâmico nos últimos anos estão sendo mantidas em uma prisão iraquiana e recebem assistência consular, informou a revista Der Spiegel neste sábado.

De acordo com a publicação, diplomatas visitaram as quatro em uma prisão no aeroporto de Bagdá na quinta-feira e elas estavam bem, dadas as circunstâncias. As mulheres podem enfrentar pena de morte no Iraque por pertencerem ao grupo militante, acrescentou a Der Spiegel.

A revista disse que autoridades iraquianas deram à Alemanha uma lista com os nomes das mulheres no começo da semana, identificando a adolescente como Linda W. da pequena cidade de Pulsnitz, perto de Dresden.

O Ministério de Relações Exteriores da Alemanha se recusou a comentar a reportagem.

Promotores alemães informaram na terça-feira que estavam checando a informação de que uma jovem de 16 anos estava sob investigação por apoiar o Estado Islâmico entre as mulheres presas na cidade iraquiana de Mosul, onde forças iraquianas venceram o grupo militante no começo deste mês.

A Der Spiegel disse que uma das alemãs tinha descendência marroquina e outra parecia vir da Chechênia, mas tinha passaporte alemão.

(Por Michelle Martin)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos