Presidente polonês veta reformas judiciais após dias de protestos

Por Agnieszka Barteczko e Pawel Florkiewicz

VARSÓVIA (Reuters) - O presidente da Polônia, Andrzej Duda, anunciou inesperadamente nesta segunda-feira que irá vetar dois dos três projetos de lei de reforma judicial aprovados pelo Parlamento que desencadearam protestos em todo o país e levantaram preocupações dos Estados Unidos e União Europeia sobre uma politização dos tribunais.

Duda, um aliado do partido governista eurocético de direita Lei e Justiça (PiS), disse que embora concordasse com o governo sobre a necessidade de uma reforma do Judiciário, as medidas propostas não estavam em linha com a Constituição.

    A primeira-ministra Beata Szydlo, claramente desapontada, disse que seu governo não irá “ceder às pressões” para derrubar as reformas, mas não disse como o governo irá proceder. O PiS não possui votos suficientes no Parlamento para derrubar o veto de Duda.

    “Eu uso o direito do veto porque (as propostas) necessitam mudanças para garantir que estejam em conformidade com a Constituição”, disse Duda em discurso televisionado à nação, acrescentando que irá em breve apresentar suas próprias propostas.

    A ação de Duda parece ter pego o governo de surpresa, ao mesmo tempo em que recebeu um comentário cauteloso de Bruxelas. O líder do PiS, Jaroslaw Kaczysnki, político mais poderoso da Polônia, embora sem um cargo no governo, não comentou publicamente o veto.

    A reforma do Judiciário, somada à uma tentativa do PiS de expandir seus poderes para outras áreas, incluindo controle da mídia, tem provocado uma crise nas relações com a União Europeia e desencadeou um dos maiores conflitos políticos desde que a Polônia derrubou o comunismo, em 1989.

    Muitos poloneses veem o Judiciário como corrupto e dominado pelo modo de pensar da era comunista, mas outros veem os esforços de reforma do governo como uma tomada de poder que irá prejudicar a democracia polonesa. 

((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702)) REUTERS AC

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos