Oposição na Venezuela convoca greve de dois dias contra Maduro

Por Andrew Cawthorne e Andreina Aponte

CARACAS (Reuters) - Os adversários do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, irão realizar uma greve nacional de dois dias a partir desta quarta-feira, em um último esforço para pressioná-lo a abandonar a eleição do fim de semana para formar uma Assembleia Constituinte.

Milhões de pessoas participaram de uma greve de 24 horas na última semana, em que empresas fecharam as portas, famílias permaneceram dentro de casa e ruas fora fechadas ou ficaram vazias em várias partes da Venezuela.

"A partir de 6h amanhã (no horário local), nós vamos paralisar esse país", disse o parlamentar de oposição e ativista Juan Requesens. "Nós mostraremos a Nicolás Maduro e a seu grupo que não há amor para eles em nenhum lugar na Venezuela ou no mundo".

A oposição, que tem apoio majoritário após anos na sombra do Partido Socialista durante o mandato do predecessor de Maduro, Hugo Chávez, diz que a Assembleia Constituinte planejada pelo presidente é uma farsa, elaborada somente para mantê-lo no poder.

O presidente, de 54 anos, insiste que a votação de domingo acontecerá, apesar de intensa pressão no país e no exterior, incluindo uma ameaça de sanções econômicas pelos Estados Unidos.

(Reportagem adicional de Diego Ore e Fabian Cambero)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos