Espanha rejeita extradição de advogado acusado pela Lava Jato

MADRI (Reuters) - A Justiça da Espanha rejeitou um pedido de extradição de um advogado acusado de envolvimento no escândalo de corrupção da Petrobras apresentado pelo Brasil no âmbito das investigações da operação Lava Jato.

Os procuradores da Lava Jato acusam o advogado Rodrigo Tacla Duran, que tem dupla nacionalidade brasileira-espanhola, de ser um dos operadores financeiros do esquema de pagamento de propina da Odebrecht envolvendo a Petrobras.

Ele foi alvo de mandado de prisão da 36ª fase da operação, deflagrada em novembro do ano passado, mas está fora do Brasil desde abril de 2016, de acordo com a Polícia Federal. [nL1N1DB2Q2]

O caso do advogado será julgado na Espanha, de acordo um comunicado da Justiça espanhola. Ele é acusado de lavagem de dinheiro, corrupção e de pertencer a organização criminosa.

O gabinete da Procuradoria-Geral da República disse em nota que avaliará se vai enviar o caso às autoridades espanholas na esperança de que eles processem Duran. Eles não disseram quando uma decisão seria tomada.

Não foi possível fazer contato com a defesa de Duran.

(Reportagem de Paul Day)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos