UE condena "uso excessivo da força" contra protestos na Venezuela

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia condenou nesta segunda-feira "o excessivo e desproporcional uso da força pelas forças de segurança" na Venezuela, onde as autoridades disseram que 10 pessoas foram mortas em confrontos entre manifestantes antigoverno e as forças de segurança.

O domingo foi um dos dias mais violentos na Venezuela desde o início dos protestos em abril, uma vez que foi realizada uma eleição convocada pelo impopular governo do presidente Nicolás Maduro para a formação de uma Assembleia Constituinte.

"A Venezuela elegeu legítima e democraticamente instituições cujo papel é trabalhar juntar e encontrar uma solução negociada para a atual crise. Uma Assembleia Constituinte, eleita sob circunstâncias duvidosas e às vezes violentas, não podem ser parte da solução", disse o serviço de política externa da UE.

A UE não mencionou se cogita a imposição de sanções contra a Venezuela, como considerado pelos Estados Unidos.

(Reportagem de Gabriela Baczynska)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos