EUA podem ampliar conversas da ONU sobre sanções contra Pyongyang, indicando acordo com China

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Os Estados Unidos podem, em breve, ampliar as conversas na ONU sobre a imposição de sanções mais pesadas contra a Coreia do Norte para incluir todos os 15 membros do Conselho de Segurança, sinalizando um provável acordo com a China sobre as novas medidas, disseram diplomatas na quinta-feira.

Desde que a Coreia do Norte lançou um míssil balístico intercontinental (ICBM) no dia 4 de julho, os Estados Unidos têm negociado com a China, aliada de Pyongyang, uma proposta de resolução para impor novas sanções contra o país, que lançou um segundo ICBM na última sexta-feira, desafiando deliberações do Conselho de Segurança da ONU.

"Nós temos trabalhado duro há muito tempo e nós certamente esperamos que essa será uma resolução de consenso", disse o embaixador da China na ONU, Liu Jieyi, à Reuters, na quinta-feira.

Alguns diplomatas disseram que os Estados Unidos podem entregar o projeto de resolução para todos os 15 membros do Conselho já na quinta-feira.

Normalmente, os Estados Unidos e a China concordam com as sanções contra a Coreia do Norte antes de envolver formalmente outros membros do Conselho. Uma resolução precisa de nove votos a favor e nenhum veto da parte de Estados Unidos, China, Rússia, França e Reino Unido para ser adotada.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos