Vaticano pede que Maduro suspenda Assembleia Constituinte da Venezuela

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - O Vaticano pediu nesta sexta-feira que o governo da Venezuela suspenda a Assembleia Constituinte e fez um apelo direto às forças de segurança para que evitem usar força excessiva ao lidar com protestos da oposição.

Iniciativas em curso, inclusive a eleição da Assembleia Constituinte, "criam um clima de tensão e conflito e não levam em conta o futuro", disse o Secretariado de Estado da Santa Sé em comunicado, pedindo que as mudanças sejam evitadas ou suspensas.

O Vaticano também exortou as forças de segurança da Venezuela a evitarem o "uso de força excessiva e desproporcional". Mais de 120 pessoas já morreram durante os quatro meses de manifestações da oposição.

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, defendeu o novo organismo, criado como resultado de uma votação ocorrida no domingo e que vários países do mundo criticaram por o considerarem uma tentativa de estender indefinidamente seu governo.

O comunicado do Vaticano clamou por uma solução negociada que siga as mesmas diretrizes que o Vaticano elaborou no ano passado, quando mediou conversas entre o governo e a oposição que mais tarde fracassaram.

O texto também pediu que a Venezuela respeite os direitos humanos e a Constituição atual do país.

(Por Isla Binnie)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos