Receitas têm frustrado e há necessidade de reavaliação da meta fiscal, diz ministro do Planejamento

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, deixou a porta aberta nesta segunda-feira para que o governo altere a meta fiscal ao afirmar que as receitas têm frustrado a expectativa da equipe econômica.

"Não posso assegurar que vai haver mudança (da meta fiscal). O que temos de certo até o momento é que as receitas têm frustrado e se impõe a necessidade de se fazer reavaliação", afirmou o ministro durante evento em São Paulo com a participação de empresários

A meta deste ano é de déficit de 139 bilhões de reais, mas a equipe econômica já reconheceu que esse número não será alcançado e deve projetar um rombo maior.

Ainda na questão fiscal, o ministro do Planejamento voltou a afirmar que a reforma da Previdência é essencial para ajustar as contas públicas.

"É estritamente necessária a reforma da Previdência... Sem ela, não há como voltar a ter superávit", acrescentou ao ponderar que o texto deve ser aprovado em breve pelo Congresso. "Não tenho uma data (para aprovar); o importante é que está na pauta prioritária do governo e do Congresso."

Oliveira também afirmou que no segundo trimestre a economia brasileira ficou perto da estagnação no segundo trimestre deste ano, "próximo do neutro", quando houve a divulgação de indicadores mistos.

(Reportagem de Thaís Freitas)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos