Furacão Irma atinge ilhas caribenhas e pode seguir para Flórida

Por Scott Malone

SAN JUAN, Porto Rico (Reuters) - O furacão Irma, uma das tempestades mais fortes no Atlântico em um século, provocou uma combinação catastrófica de ventos intensos, chuvas fortes e ondas grandes no norte de ilhas caribenhas nesta quarta-feira, e pode seguir para a Flórida no fim de semana.

A previsão é que o Irma se tornará a segunda tempestade mais violenta a atingir o território continental dos Estados Unidos em igual número de semanas depois da passagem devastadora do furacão Harvey pelo Texas, mas sua trajetória continua incerta.

O olho do Irma, uma tempestade de categoria 5 com ventos de 295 km/h, passou sobre a ilha de Barbuda, a leste de Porto Rico, no início desta quarta-feira, segundo o Centro Nacional de Furacões dos EUA (NHC), sediado em Miami, podendo atingir a Flórida no sábado.

"Estamos encolhidos e está ventando muito... o vento é uma grande ameaça", disse Garfield Burford, diretor de notícias da rádio e TV ABS da ilha de Antígua, ao sul de Barbuda. "Até agora, alguns telhados foram arrancados".

A maioria das pessoas ficou sem eletricidade em Antígua e Barbuda, e cerca de mil delas iriam passar a noite em abrigos de Antígua, de acordo com Burford.

"É muito assustador... a maioria das ilhas está escura, então é muito, muito apavorante", disse.

A extensão dos danos e o número de vítimas ainda eram desconhecidos no início desta quarta-feira. Um homem de 75 anos morreu enquanto se preparava para a tempestade nas montanhas centrais de Porto Rico, informou a polícia.

Várias outras Ilhas de Sotavento, incluindo Anguilla, Montserrat, St. Kitts e Nevis, além das Ilhas Virgens Britânicas e Americanas, Porto Rico e a República Dominicana, estão sob alerta de furacão.

"Os preparativos para proteger vidas e propriedades devem ser apressados", disse o NHC, alertando que o Irma "trará ventos possivelmente fatais, inundações litorâneas e riscos decorrentes das chuvas" a estas ilhas.

O NHC disse que o Irma está entre os cinco furacões mais fortes do Atlântico nos últimos 80 anos e é a tempestade mais intensa na bacia do Atlântico já ocorrida fora do mar do Caribe e do Golfo do México.

O governador de Porto Rico, Ricardo Rossello, exortou os 3,4 milhões de habitantes do território norte-americano a buscarem refúgio em um dos 460 abrigos de furacão antes da tempestade, e mais tarde ordenou que a polícia e soldados da Guarda Nacional comecem a retirar pessoas de áreas sujeitas a inundações no norte e no leste da ilha.

As autoridades de Florida Keys emitiram uma ordem de retirada de visitantes a partir do nascer do sol desta quarta-feira, e as escolas públicas do sul da Flórida ficarão fechadas, algumas já nesta quarta-feira.

(Reportagem adicional de Brendan O'Brien, em Milwaukee)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos