Furacão Irma "devastará" parte dos EUA, diz chefe de serviços de emergência

Por David Shepardson

WASHINGTON (Reuters) - Prevendo que o furacão Irma irá "devastar" parte dos Estados Unidos, autoridades norte-americanas estão preparando uma grande reação à tempestade, disse o diretor da Agência Federal de Gestão de Emergências dos EUA (Fema, na sigla em inglês) nesta sexta-feira.

Como o Irma deve atingir a Flórida já na noite de sábado, partes do Estado devem ficar sem eletricidade durante dias, se não mais, e mais de 100 mil pessoas podem precisar de abrigo, alertou Brock Long, administrador da Fema, em uma coletiva de imprensa.

"O furacão Irma continua a ser uma ameaça que devastará os EUA, seja na Flórida ou em alguns dos Estados do sudeste", disse Long.

O Irma era um furacão de categoria 5, o mais perigoso na escala, mas foi rebaixado para 4 no começo desta sexta-feira depois de assolar ilhas do Caribe.

Os EUA só receberam três tempestades de categoria 5 desde 1851, e o Irma é muito maior do que a última a se abater sobre o país em 1992, o furacão Andrew, de acordo com Long.

Ele aconselhou as pessoas a não ignorarem as ordens de retirada.

"Elas precisam sair e ouvir e acatar os alertas", disse.

As autoridades têm milhares de funcionários prontos para agirem e milhões de refeições e litros de água à disposição nas proximidades, afirmou Long.

O Serviço Nacional do Clima disse que esta sexta-feira é o último dia para os moradores se retirarem antes de os ventos começarem a desenvolver velocidades perigosas na Flórida.

As empresas aéreas aumentaram o número de voos partindo do Estado na quinta-feira e depois anunciaram planos de interromper as partidas em alguns aeroportos do sul da Flórida a partir da tarde desta sexta-feira.

O secretário de Saúde e de Serviços Humanos dos EUA, Tom Price, classificou o Irma como "uma tempestade notavelmente perigosa, e a janela para se chegar ao lugar certo... está se fechando rapidamente".

Price disse que o principal hospital de Saint Thomas, nas Ilhas Virgens norte-americanas, foi fechado por ter sofrido danos do Irma, e que pacientes em estado crítico estão sendo levados para Porto Rico ou outras ilhas.

Na quinta-feira o Senado norte-americano aprovou por 80 a 17 votos uma medida para mais do que dobrar o financiamento da Fema, para 15,25 milhões de dólares, e liberar fundos para autoridades locais lidarem com desastres naturais. O fundo de assistência da Fema poderia acabar nesta sexta-feira sem uma ação, argumentaram senadores.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos