Putin e Merkel condenam Coreia do Norte por ignorar resoluções da ONU

MOSCOU (Reuters) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, discutiram a situação da península coreana nesta segunda-feira e condenaram fortemente o regime de Pyongyang por ter ignorado resoluções do Conselho de Segurança da ONU.

"Foi enfatizado que tais passos contradizem os princípios da não proliferação global e criam uma séria ameaça à paz e segurança regional", disse o Kremlin em comunicado, após o telefonema entre os dois líderes.

"Foi confirmado que a solução para essa aguda crise é possível exclusivamente por meio de ferramentas políticas e diplomáticas, por meio da retomada das negociações de todas as partes envolvidas", disse o Kremlin, acrescentando que os líderes concordaram em continuar discutindo a crise através de seus ministros de Relações Exteriores.

Durante o telefonema, Merkel disse a Putin que apoia os esforços do Conselho de Segurança da ONU para adotar rapidamente sanções adicionais contra a Coreia do Norte para fazer com que Pyongyang mude de rumo, afirmou um porta-voz do governo alemão.

"Houve um acordo de que a disputa sobre o armamento nuclear da Coreia do Norte precisa ser resolvida pacificamente", disse Steffen Seibert, em comunicado.

(Reportagem de Dmitry Solovyov)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos