Furacão Maria devasta ilha caribenha e avança para Porto Rico com intensidade máxima

Richardo Ortiz

Em Ponce, Porto Rico

  • AFP PHOTO / Ricardo ARDUENGO

    18.set.2017 - Porto-riquenhos colocam tábuas de madeira para proteger janelas antes da chegada do furacão Maria a San Juan

    18.set.2017 - Porto-riquenhos colocam tábuas de madeira para proteger janelas antes da chegada do furacão Maria a San Juan

O furacão Maria, a segunda grande tempestade a atingir o Caribe neste mês, avançou em direção às Ilhas Virgens norte-americanas e Porto Rico, nesta terça-feira, depois de assolar a pequena nação-ilha de Dominica, causando devastação generalizada.

Maria, uma tempestade "extremamente perigosa", voltou à categoria 5, a mais elevada na escala de intensidade, ao passar cerca de 325 quilômetros a sudeste de St. Croix, nas Ilhas Virgens, com ventos constantes de 260 km/h, de acordo com o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC).

A tempestade se abateu sobre Dominica, nação-ilha de 72 mil habitantes no leste caribenho, no final de segunda-feira e provocou devastação generalizada, disse o primeiro-ministro, Roosevelt Skerrit, no Facebook.

"Honestamente, não estou preocupado com o dano físico neste momento, porque é devastador... de fato, chocante. Meu foco agora está em resgatar os que estão retidos e providenciar assistência médica para os feridos", disse.

Com ventos contínuos máximos de 250 km/h, a tempestade atingiu a ilha na condição de furacão de categoria 5, disse o NHC.

"Os ventos arrancaram os telhados de quase todas as pessoas com as quais conversei ou fiz contato", disse Skerrit. "O telhado da minha própria residência oficial foi um dos primeiros a serem levados, e isto aparentemente desencadeou uma avalanche de telhados arrancados na cidade e no interior".

Embora a intensidade do furacão possa variar no próximo dia ou dois, Maria deve continuar como uma tempestade de categoria 4 ou 5 na escala Saffir-Simpson, segundo o NHC, sediado em Miami.

A tempestade parece estar rumando para o nordeste do mar do Caribe, e até a noite desta terça-feira ou o início da quarta-feira deve se aproximar das Ilhas Virgens e de Porto Rico, onde milhões ainda se recuperam da passagem do furacão Irma no início deste mês.

Se Maria mantiver sua força, será o furacão mais intenso a atingir Porto Rico em 85 anos, depois que uma tempestade de categoria 4 varreu o território norte-americano em 1932, disse Dennis Feltgen, porta-voz do NHC. O último grande furacão a assolar Porto Rico diretamente foi o Georges, que chegou à ilha como uma tempestade de categoria 3 em 1998, disse ele.

O governador de Porto Rico, Ricardo Rossello, exortou os moradores da ilha no Twitter a se prepararem para a vinda da tempestade, e o governador das Ilhas Virgens dos EUA, Kenneth Mapp, disse que Maria deve passar a cerca de 16 quilômetros da ilha de St. Croix, que foi poupada dos piores impactos do furacão Irma em 6 de setembro. A ilha abriga cerca de 55 mil moradores permanentes, cerca de metade da população total do território.

Maria é a 13ª tempestade batizada do Atlântico neste ano, o sétimo furacão da temporada até o momento e o quarto grande furacão após as passagens de Harvey, Irma e José, segundo o NHC.

(Reportagem adicional de Robert Edison Sandiford em Bridgetown, Barbados, Harriet McLeod em Charleston, Carolina do Sul e Brendan O'Brien em Milwaukee)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos