Conservadores de Merkel lideram para eleição de domingo, extrema-direita ganha terreno

BERLIM (Reuters) - Os conservadores, da chanceler alemã Angela Merkel, mantêm uma liderança sólida sobre seus rivais sociais-democratas, que perderam um pouco de terreno, apontou pesquisa publicada nesta quinta-feira, três dias antes de uma eleição que deve ser vencida por Merkel.

A pesquisa Forschungsgruppe Wahlen para a emissora ZDF mostrou o bloco CDU/CSU, liderado por Merkel, com 36 por cento, estável em relação à sondagem anterior, enquanto os sociais-democratas (SPD) perderam 1,5 ponto percentual, para 21,5 por cento.

O partido anti-imigração Alternativa para a Alemanha (AfD), que deve se tornar a primeira sigla de extrema-direita com assento no Parlamento em mais de meio século, deve ficar em terceiro com 11 por cento, um ponto a mais do que na pesquisa da semana passada.

O pró-mercado Democratas Livres (FDP) registraram 10 por centom seguido pelo Esquerda, com 8,5 por cento, e pelos Verdes, que somaram 8 por cento.

Esses números apresentariam como alianças potenciais uma "grande coalizão" entre os conservadores de Merkel e o SPD, ou uma aliança "Jamaica" entre três partes entre os conservadores, o FDP e os verdes, assim chamado porque as cores dos três partidos coincidem com as da bandeira do país caribenho.

Em uma hipótetica eleição direta para chanceler, Merkel receberia 56 por cento dos votos, enquanto seu rival do SPD, Martin Schulz, receberia 32 por cento, de acordo com a pesquisa feita junto a 1.725 pessoas entre os dias 20 e 21 de setembro.

(Reportagem de Michelle Martin)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos