May pede que UE responda à altura a nova postura do Reino Unido em conversas do Brexit

Por Elizabeth Piper

TAPA, Estônia (Reuters) - A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, cobrou a União Europeia nesta sexta-feira a responder à altura às propostas delineadas por ela na Itália na semana passada na tentativa de destravar as conversas sobre a saída britânica do bloco, o chamado Brexit, dizendo que formar uma nova parceria também é do interesse da UE.

Falando à Reuters na Estônia depois de se encontrar com soldados britânicos, May disse acreditar que o discurso feito em Florença uma semana atrás deu novo ímpeto às conturbadas negociações sobre a separação e que viu sinais que indicam que o impasse foi rompido.

Mas a premiê não disse se acredita que isso bastou para levar as conversas para uma discussão sobre o relacionamento futuro até uma cúpula de outubro, já que nesta semana negociadores da UE voltaram a dizer que não houve progresso suficiente.

"Uma semana atrás fiz um discurso em Florença que delineou como fizemos um bom progresso até agora, pensei que poderíamos fazer mais progresso e passar a contemplar o relacionamento futuro profundo e especial e a parceria que queremos construir com a União Europeia quando o Reino Unido tiver deixado a UE", disse.

"Fiz aquele discurso para dar ímpeto às conversas, e acho que vimos isso demonstrado nas conversas que ocorreram nesta semana, e mais progresso foi feito".

Na sequência da rodada mais recente de conversas desta semana, o principal negociador da UE disse que a fala de May criou uma "nova dinâmica", mas que é preciso progredir mais para se passar à próxima fase das negociações.

Enfraquecida por uma eleição de junho na qual seu Partido Conservador perdeu a maioria, a premiê espera aproveitar a cúpula informal da Estônia para conversar com líderes do bloco sobre o Brexit e para ressaltar o papel britânico na segurança europeia na tentativa de criar boa vontade.

Ao lado do presidente francês, Emmanuel Macron, e do estoniano Juri Ratas, ela conversou com cerca de 800 soldados que o Reino Unido enviou a uma base militar em Tapa, no norte da Estônia, como parte de uma mobilização da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para defender seus membros de uma Rússia cada vez mais assertiva na fronteira da UE.

Concentrando-se na defesa em Tallinn, May irá procurar mostrar que seu país tem algo a oferecer a seus vizinhos europeus e dirá estar pronta para compartilhar a experiência britânica para ajudar as nações do bloco a desenvolverem suas próprias ferramentas de segurança cibernética.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos