Só milagres podem fazer conversas do Brexit avançarem até outubro, diz UE ao Reino Unido

Por Elizabeth Piper e Julia Fioretti

TALLINN (Reuters) - Só "milagres" podem fazer as conversas sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, o chamado Brexit, avançarem o suficiente para atenderem as esperanças britânicas de iniciar no mês que vem as discussões sobre seus laços futuros com o bloco, disse o chefe da Comissão Europeia nesta sexta-feira.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, esperava aproveitar uma reunião informal em Tallinn, capital da Estônia, para criar o que descreveu como uma boa vontade renovada com o Brexit para levar as conversas além dos termos da separação, agora a 18 meses de distância.

O Reino Unido almejava obter um avanço em uma cúpula agendada para os dias 19 e 20 de outubro em Bruxelas. As conversas sobre o Brexit durarão dois anos, e os britânicos correm o risco de sair do bloco em 19 de março de 2019 sem um acordo sobre os termos da futura relação comercial bilateral.

Mas Jean-Claude Juncker, presidente do executivo da UE e desafeto antigo da imprensa eurocética britânica, disse que a primeira etapa das conversas sobre os direitos dos expatriados, a fronteira com a Irlanda e o acerto financeiro a ser feito quando o Reino Unido deixar o bloco não progrediram o bastante.

"Até o final de outubro não teremos progresso suficiente", disse Juncker aos repórteres em Tallinn um dia depois de seu principal negociador encerrar a rodada mais recente de discussões sobre o Brexit.

"No final desta semana, estou dizendo que não haverá progresso suficiente de agora até outubro, a menos que milagres aconteçam."

Suas palavras foram ecoadas por outros líderes – o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, também disse que os dois lados precisariam de "um pequeno milagre" para obter o progresso necessário antes da cúpula do mês que vem, e o líder irlandês, Leo Varadkar, disse que "ainda é muito evidente que há mais trabalho a ser feito".

Estes posicionamentos serão um golpe para May, que quer passar rapidamente para a discussão do relacionamento comercial futuro e de um período de transição –parte do acordo que o Reino Unido diz ser necessário antes que se decida qualquer acerto financeiro.

Em Tallinn, May se esquivou ao ser indagada se acredita no cumprimento do prazo de outubro.

         (Reportagem adicional de Philip Blenkinsop)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos