Um dia após massacre, Vegas não parece ser Vegas

Por Alexandria Sage

LAS VEGAS (Reuters) - As máquinas caça-níqueis continuam funcionando e os drinques continuam circulando, mas a atmosfera de festa não era a mesma na mundialmente famosa avenida Las Vegas Strip na noite de segunda-feira, 24 horas depois de um atirador cometer o pior ataque a tiros da história moderna dos Estados Unidos.

O clima contido se fazia sentir especialmente no hotel Mandalay Bay Resort and Casino, onde a polícia diz que um aposentado com um arsenal de fuzis disparou centenas de balas de seu quarto contra a plateia de um festival de música country ao ar livre, matando ao menos 59 pessoas e ferindo mais de 500.

O saguão do Mandalay, normalmente movimentado a quase qualquer hora do dia ou da noite, estava silencioso. Os jogadores aos gritos, as solteiras com coquetéis gigantes e os endinheirados preparados para uma noitada de muitos gastos não estavam à vista.

Ao invés disso, alguns apostadores solitários se sentavam com olhos vidrados diante de caça-níqueis. Quatro seguranças escoltaram uma repórter da Reuters sem cerimônia quando ela tentou entrevistar um frequentador do cassino.

"É esquisito. As pessoas estão tentando se divertir, mas existe uma nuvem pairando sobre a cidade agora", disse Greg Hartnett, de 31 anos, que havia chegado para sua primeira visita a Vegas mais cedo no mesmo dia.

Hartnett, que mora perto do local do massacre de 32 pessoas na Universidade Virginia Tech em 2007, disse que a matança de domingo o lembrou do acontecimento.

"Realmente mostra o lado escuro da humanidade", disse.

O taxista Alex Sanchez contou que seus passageiros estão bem menos falantes, e que há muito menos carros nas ruas.

"As pessoas vêm aqui para dar uma escapada. Querem deixar o estresse para trás", disse Sanchez. "E isso realmente corta o barato".

Apesar da consternação geral, as pessoas que percorriam a Las Vegas Strip pareciam mais dispostas a segurar uma porta ou trocar sorrisos com estranhos do que em um dia normal.

"Estou agradecendo todo policial que vejo", disse Hartnett. "Sinto que isso está aproximando as pessoas".

Policiais e suas motocicletas brancas cintilantes estavam parados na calçada como demonstração de força, talvez com o objetivo de tranquilizar turistas apreensivos.

"Obrigado por ontem à noite, pessoal", gritou uma mulher ao passar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos