Vaticano promete buscar verdade sobre diplomata em caso de pornografia infantil

Por Philip Pullella

ROMA (Reuters) - O Vaticano, no início de uma conferência sobre proteção de crianças contra abusos sexuais online, prometeu nesta terça-feira buscar a verdade sobre um de seus diplomatas que convocou de volta após se tornar suspeito de posse de pornografia infantil.

“Este é um episódio muito doloroso e um grande julgamento para todos os envolvidos”, disse o cardeal Pietro Parolin, secretário de Estado do Vaticano e número dois na Santa Sé.

Parolin se referia ao caso de um monsenhor que foi convocado de volta à Santa Sé de sua embaixada em Washington em agosto após o Departamento de Estado norte-americano dizer que ele pode ter violado leis de pornografia infantil.

“Nós estamos tratando o caso com a máxima seriedade, o máximo comprometimento e a máxima atenção”, disse Parolin a repórteres conforme chegava para ler um discurso na conferência.

Ele disse que o caso está sob segredo judicial “para proteger a investigação e para proteger a verdade e justiça”.

O Vaticano nunca identificou o monsenhor, que também é procurado no Canadá por suspeita de upload de pornografia infantil de um site de rede social em 2016.

Ele está sendo investigado por procuradores do Vaticano e será julgado no Vaticano caso indiciado.

Em seu discurso, Parolin disse que a Igreja Católica quer “compartilhar a experiência” que havia adquirido ao lidar com seus próprios escândalos envolvendo abuso sexuais de padres com crianças “para que isto possa se provar útil para um bem ainda maior”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos