May tenta impor autoridade a partido e provar que pode liderar Reino Unido no Brexit

MANCHESTER, Inglaterra (Reuters) - A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse ao seu Partido Conservador nesta quarta-feira que não é seu estilo "desistir e virar as costas" quando as coisas ficam difíceis, na tentativa de convencer críticos de que pode liderar o Reino Unido e obter um bom acordo para a desfiliação da União Europeia.

Usando um tom mais pessoal, a premiê de 61 anos descreveu seu ímpeto político para tentar conquistar o apoio e unir um partido desiludido com as divisões entre os principais ministros do gabinete e com uma eleição na qual a legenda perdeu sua maioria parlamentar.

Em discurso durante conferência aos membros do partido, May quis relançar sua agenda e afirmar sua autoridade depois de ser pressionada por seu ministro das Relações Exteriores, Boris Johnson, em relação a seus planos para deixar a UE em março de 2019.

Pedindo ao partido que se concentre nos eleitores, e não em disputas internas, May disse que está na política "para fazer a diferença, para mudar as coisas para melhor, para deixar à próxima geração um país mais forte, mais justo e mais próspero".

"Nada disto será fácil. Haverá obstáculos e barreiras pelo caminho. Mas nunca foi meu estilo me esconder de um desafio, me omitir de uma tarefa, recuar diante da dificuldade, desistir e virar as costas", disse, segundo trechos de seu discurso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos