Países do Grupo de Lima pedem que Venezuela garanta eleições regionais livres

BRASÍLIA (Reuters) - O Grupo de Lima, formado pelo Brasil e outros 11 países das Américas, cobraram que o governo venezuelano garanta a livre participação de todos os candidatos inscritos nas próximas eleições regionais do país, que acontecem no dia 15 deste mês.

Em nota, o grupo formado por Argentina, Canadá, Chile, Colômbia, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Panamá, Paraguai e Peru, além do Brasil, pediram ainda a participação de observadores internacionais durante o processo para permitir que "seus resultados sejam um reflexo fiel da vontade popular e tenham a legitimidade necessária".

"Exortam o governo venezuelano e o Conselho Nacional Eleitoral a agir no âmbito de suas funções, com total transparência, imparcialidade e objetividade, para garantir a livre participação de todos os candidatos, incluindo o direito de substituí-los de acordo com a lei, e que este processo seja realizado com pleno respeito pelo voto livre, secreto, efetivo e universal", diz o texto.

As eleições regionais venezuelanas, onde são escolhidos os governadores de 23 dos 24 Estados do país - a exceção é o Distrito Federal da Capital - deveria ter acontecido em dezembro de 2016, mas foram adiadas duas vezes pelo governo do presidente Nicolás Maduro.

O Conselho Nacional Eleitoral, responsável por definir a data da eleição, anunciou em 12 de setembro o dia 15 de outubro.

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos