Cães de terapia confortam sobreviventes de ataque em Las Vegas e massacre continua mistério

Por Jonathan Allen

(Reuters) - Cães de terapia e voluntários de saúde mental estão entre os recursos disponíveis em Las Vegas para confortar os afetados pelo ataque a tiros em massa da semana passada, em um momento solene no qual pessoas presentes no festival continuavam, nesta segunda-feira, em busca de pertences deixados para trás ao fugirem de diversos tiros que foram disparados do quarto de um hotel próximo.

          Investigadores continuam sem respostas sobre o que pode ter motivado Stephen Paddock, um rico aposentado sem antecedentes criminais, a atirar do 32º andar do Mandalay Bay Casino and Resort contra uma multidão que estava em um festival a céu aberto, antes de se matar.

          Especialistas em saúde mental disseram durante entrevista coletiva nesta segunda-feira que pessoas expostas a traumas podem sofrer fadiga, irritabilidade, confusão e tristeza. Tom Hlenski, um voluntário da Cruz Vermelha Americana, disse que um retorno à rotina, assim como descanso, pode ajudar a diminuir ansiedade.

          “Canja de galinha ainda funciona”, afirmou, dizendo que refeições em família podem ajudar a superar o impacto. “É ok rir em casa. É ok contar piadas. É ok voltar para um ritmo normal. E sim, é ok ficar triste e chorar e ter noites sem sono e ter pesadelos. Isto é parte de responder ao estresse”.

Hlenski disse ser um dos cerca de 30 voluntários no centro de assistência familiar criado após o ataque. Diversas organizações que treinam cães de terapia também enviaram conselheiros caninos à cidade.

          Enquanto isto, autoridades regionais disseram estar continuando a ajudar pessoas a recuperarem suas propriedades do local do show, com 99 tendo buscado seus pertences até a manhã desta segunda-feira.

          A quantidade de pertences, incluindo celulares, bolsas e mochilas, é tão grande que agentes federais dividiram a cena do crime em quatro grandes quadrantes e irão liberar itens um por vez.

          Apesar do intenso interesse da mídia sobre a vida de Paddock, as circunstâncias que levaram ao massacre ainda não são claras.

          A CNN relatou nesta segunda-feira que Paddock testemunhou sob juramento que manteve um médico com pagamento adiantado para tratar sua ansiedade com medicamentos prescritos, embora o médico tenha dito que ele não possuía problemas de saúde mental ou vícios.

          Os detalhes surgiram de um testemunho de 2013 que Paddock deu como parte de um processo legal sem sucesso contra o Cosmopolitan Hotel após escorregar no chão do hotel.

          Ele disse a advogados que apostou o equivalente a um milhão de dólares em uma única noite enquanto jogava 14 horas de vídeo pôquer por dia em seu auge em 2006, de acordo com o canal a cabo de notícias.

         

(Reportagem de Jonathan Allen, em Nova York)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos