Setor de serviços da China tem menor alta em 21 meses em setembro, mostra PMI

PEQUIM (Reuters) - A atividade no setor de serviços da China cresceu em seu ritmo mais lento em 21 meses em setembro, à medida que as novas encomendas esfriaram, mostrou nesta segunda-feira a pesquisa Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) do Caixin/Markit.

O índice caiu para 50,6 no mês passado, a menor leitura desde dezembro de 2015 e uma das mais fracas desde que a pesquisa começou em 2005. Leitura acima de 50 indica crescimento.

Os resultados reforçaram os pontos de vista de que as pequenas empresas da China continuavam sofrendo, enquanto as grandes gigantes estatais aparentemente estão colhendo a maioria dos benefícios do bom momento da construção, liderado pelo governo.

Muitos analistas acreditam que o rali industrial robusto da China não pode ser sustentado por muito mais tempo, pressionando os políticos a encontrar formas de dinamizar o fraco setor privado, que representa mais da metade dos investimentos e empregos do país.

A China está contando com o crescimento dos serviços, particularmente os de alto valor agregado em finanças e tecnologia, para reduzir a dependência tradicional da economia na indústria pesada e no investimento.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos