Custo de operação do sistema elétrico dispara com chuva fraca em hidrelétricas

SÃO PAULO (Reuters) - O custo marginal de operação do sistema elétrico do Brasil na próxima semana disparou em meio a uma significativa redução das projeções de chuva nos reservatórios das hidrelétricas em outubro e a uma expectativa de maior demanda no mês, aponta o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) em relatório nesta sexta-feira.

O custo marginal de operação (CMO) médio estimado ficou em 860,84 reais por megawatt-hora, alta de quase 25 por cento ante os 690,75 reais na semana anterior, segundo o ONS.

A alta veio após o órgão reduzir as estimativas de chuva na área das hidrelétricas do Sudeste neste mês para 68 por cento da média histórica, ante 79 por cento na semana anterior.

O Sudeste concentra a maior parte dos reservatórios, seguido pelo Nordeste, onde as estimativas de precipitações também caíram para 21 por cento da média, ante 26 por cento antes.

Contribuiu ainda para o cenário de alto custo uma elevação nas perspectivas de consumo de energia no país. O ONS estimou que a carga de eletricidade do sistema interligado do Brasil deve fechar outubro com alta de 3,8 por cento na comparação anual, frente a estimativa de crescimento de 2 por cento na semana anterior.

(Por Luciano Costa)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos