EUA condenam eleições na Venezuela e dizem que não foram nem livres, nem justas

WASHINGTON (Reuters) - Os Estados Unidos condenaram nesta segunda-feira as eleições estaduais do último fim de semana na Venezuela afirmando que elas não foram nem livres, nem justas e prometeram usar seus poderes econômico e diplomático para apoiar os venezuelanos na restauração da democracia no país exportador de petróleo.

"Condenamos a falta de eleições livres e justas ontem na Venezuela. A voz do povo venezuelano não foi ouvida", disse a porta-voz do Departamento de Estado Heather Nauert em comunicado.

"Enquanto o regime (do presidente venezuelano Nicolás) Maduro se conduzir como uma ditadura autoritária, vamos trabalhar com membros da comunidade internacional e levar todo o peso do poder econômico e diplomático americano em apoio ao povo venezuelano, em sua busca para restaurar sua democracia."

(Reportagem de Arshad Mohammed)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos