Rússia veta renovação de missão que investiga uso de armas químicas na Síria

Por Rodrigo Campos

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - A Rússia impôs um veto nesta terça-feira no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) para impedir a renovação do mandato de uma missão que investiga o uso de armas químicas na Síria.

A investigação da ONU e da Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq), conhecida como Mecanismo Investigativo Conjunto (JIM, na sigla em inglês), foi criada por unanimidade pelos 15 membros do Conselho de Segurança em 2015 e renovada por mais um ano em 2016. Seu mandato expira em meados de novembro.

Até o dia 26 de outubro o JIM deve relatar quem foi responsável por um ataque de 4 de abril na cidade de Khan Sheikhoun, comandada por opositores do presidente sírio, Bashar Al Assad, que matou dezenas de pessoas.

A Rússia queria debater o relatório antes de votar a extensão do mandato, e seu embaixador na ONU, Vassily Nebenzia, tentou adiar a votação sem sucesso.

"Não tentem criar a impressão de que o JIM será letra morta a menos que adotemos esta resolução hoje", disse Nebenzia antes da votação.

"Estamos prontos para voltar a estender o JIM após a publicação do relatório e depois que o discutirmos após 26 de outubro", completou.

 Em junho uma outra missão de averiguação da Opaq determinou que o agente nervoso sarin foi usado no ataque a Khan Sheikhoun, o que levou os Estados Unidos a dispararem mísseis contra uma base aérea da Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos