Júri dos EUA avaliaza provas sobre investigação de interferência russa em eleição

WASHINGTON (Reuters) - Um grande júri federal em Washington aprovou na sexta-feira as primeiras provas da investigação sobre o alegado envolvimento da Rússia nas eleições presidenciais de 2016 nos Estados Unidos, disse uma fonte com conhecimento do assunto à Reuters.

O caso foi colocado em segredo sob ordens de um juiz federal, por isso não estava claro quais eram as acusações ou quem seria o alvo, disse a fonte, acrescentando que a questão poderia ser aberta na segunda-feira.

O assunto foi reportado primeiramente na sexta-feira pela CNN, que disse que o acusado poderia ser levado sob custódia na segunda-feira.

Agências de inteligência dos EUA concluíram em janeiro que a Rússia interferiu na eleição para tentar ajudar o presidente Donald Trump a derrotar a candidata democrata, Hillary Clinton.

Moscou teria feito uma campanha envolvendo "hackers", divulgado e-mails embaraçosos e disseminado propaganda política através de redes sociais para desacreditar a campanha de Hillary.

Trump negou as alegações de que sua campanha foi favorecida pela Rússia e disse que as investigações sobre o tema não passam de "caça às bruxas".

O Kremlin negou as alegações.

(Reportagem de Mohammad Zargham e Eric Beech)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos