Argentina pede por união contra terrorismo e homenageia vítimas de ataque em Nova York

BUENOS AIRES (Reuters) - O presidente da Argentina, Mauricio Macri, pediu nesta quarta-feira que todos se comprometam a lutar contra o terrorismo, após um ataque em Nova York que deixou cinco argentinos mortos.

"Todos temos que estar comprometidos dos pés à cabeça com a luta contra o terrorismo", afirmou Macri, durante evento em Buenos Aires.

Na terça-feira, um homem que dirigia uma caminhonete alugada atropelou pedestres e ciclistas em Nova York, deixando oito mortos, incluindo cinco cidadãos argentinos, no que autoridades norte-americanas classificaram como um ato de "terrorismo".

As vítimas argentinas viviam em Rosário, um dos maiores polos agroexportadores do mundo e cidade natal do ícone Ernesto "Che" Guevara, que fica a 300 km de distância de Buenos Aires.

Autoridades da cidade decretaram três dias de luto para homenagear as vítimas, que estavam nos Estados Unidos para comemorar os 30 anos de formatura em uma escola local.

"Isso nos enche de dor e sofrimento", disse a prefeita de Rosário, Mónica Fein, à mídia local.

O Instituto Politécnico Superior, que ofereceu seus pêsames às famílias das vítimas em seu site, disse que terá aulas normalmente nesta quarta-feira, mas que seus professores reservarão um momento para reflexão sobre o ataque.

(Reportagem de Walter Bianchi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos