EUA retomam emissão parcial de vistos na Turquia para amenizar crise diplomática

Por Ece Toksabay

ANCARA (Reuters) - Os Estados Unidos retomaram parcialmente a emissão de vistos na Turquia depois de obterem garantias sobre a segurança dos funcionários de suas missões no país, disse a embaixada norte-americana nesta segunda-feira, o primeiro passo para amenizar uma crise diplomática entre os dois aliados.

A embaixada turca em Washington disse quase imediatamente que acompanhará a medida, anunciada às vésperas de uma visita do primeiro-ministro da Turquia, Binali Yildirim, aos EUA.       

Mas a embaixada norte-americana disse que continua profundamente preocupada com a detenção de dois de seus funcionários contratados localmente para missões diplomáticas na Turquia e com o destino de cidadãos norte-americanos presos em decorrência de um estado de emergência em vigor desde um golpe de Estado fracassado do ano passado.

A prisão de um funcionário veterano do consulado dos EUA em Istambul um mês atrás levou Washington a suspender todos os serviços de vistos para não-imigrantes enquanto avalia a segurança de seu pessoal em solo turco.

Horas depois do anúncio dos EUA, feito em 8 de outubro, a Turquia comunicou estar implantando medidas recíprocas, e mais tarde o presidente turco, Tayyip Erdogan, acusou Washington raivosamente de sacrificar uma aliança antiga com Ancara.

"Recebemos garantias iniciais de alto nível do governo da Turquia de que não há funcionários locais adicionais de nossa missão na Turquia sob investigação", disse a embaixada em um comunicado.

"Também recebemos garantias iniciais do governo da Turquia de que nosso pessoal local não será detido ou preso por realizar suas funções oficiais."

Com base nestas garantias, a representação disse julgar que a situação de segurança "melhorou o suficiente para permitir o reinício de serviços de vistos limitados na Turquia".

A notícia sobre a retomada das operações, noticiada mais cedo pela Reuters, ajudou a lira turca a ganhar força e baixar de 3,8708 para 3,8356 dólares.

"A decisão veio bem antes da visita do premiê Yildirim aos EUA, mostrando que Turquia-EUA concordaram com uma solução mútua com relação à crise dos serviços de vistos", disse Ozgur Altug, economista-chefe da empresa de corretagem BGC Partners, em uma nota.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos