Presidente do Egito diz a TV que não buscará terceiro mandato

CAIRO (Reuters) - O presidente do Egito, Abdel Fattah al-Sisi, não buscará um terceiro mandato, segundo afirmou em uma entrevista à rede CNBC, acrescentando que não pretende alterar a Constituição e sua provisão sobre um limite de dois mandatos presidenciais.

"Não me serve como presidente ficar um dia a mais contra a vontade dos egípcios", disse ele ao canal de televisão no final de semana.

"Não interferiremos (com a Constituição)... sou a favor de preservar dois mandatos de quatro anos", acrescentou Sisi.

Mas ele não confirmou se pretende concorrer a um segundo mandato quando o atual terminar.

Sisi chegou ao poder em 2014, um ano depois de liderar os militares que depuseram o presidente islâmico Mohamed Mursi, eleito, mas impopular. Grupos de direitos humanos dizem que, desde então, Sisi vem reprimindo opositores políticos, ativistas e a mídia crítica de forma jamais vista.

Ele não deve enfrentar uma oposição forte, e muitos no Egito o veem como vital para a estabilidade de um país no qual tumultos vêm abalando a economia desde 2011.

Na segunda-feira Khaled Ali, advogado de direitos humanos e líder opositor egípcio, se tornou a primeira pessoa a anunciar que concorrerá contra Sisi, prometendo desafiá-lo na eleição presidencial de 2018 se não for impedido de se candidatar.

O político de 45 anos ganhou destaque em janeiro, quando venceu um caso que anulou uma transferência governamental de duas ilhas do Mar Vermelho para a Arábia Saudita, um acordo que provocou protestos em massa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos