Hariri diz que deixará Arábia Saudita e voltará ao Líbano nos próximos dois dias

BEIRUTE (Reuters) - Saad al-Hariri, o primeiro-ministro do Líbano que renunciou ao cargo no dia 4 novembro, disse nesta segunda-feira que está bem e que voltará ao país nos próximos dois dias.

Em publicação no Twitter, Hariri pediu que os libaneses fiquem calmos e disse que sua família permanecerá na Arábia Saudita, que chamou de "país deles".

A renúncia de Hariri enquanto estava na Arábia Saudita desencadeou uma crise política no Líbano.

Importantes autoridades do governo libanês e políticos graduados próximos a Hariri acreditam que a Arábia Saudita o coagiu a renunciar e que está mantendo o primeiro-ministro no país contra sua vontade, embora Hariri e sauditas tenham negado as acusações.

Durante seu discurso de renúncia, Hariri citou medo de ser assassinado e acusou o Irã e o grupo libanês Hezbollah de disseminar discórdia pelo mundo árabe.

O presidente do Líbano, Michel Aoun, que afirmou acreditar que Riad está restringindo a liberdade de Hariri, se recusou a aceitar sua renúncia até que ele retorne da Arábia Saudita.

(Reportagem de Sarah Dadouch)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos