Doria defende que PSDB lance Alckmin à Presidência da República dia 9

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O prefeito de São Paulo, João Doria, defendeu nesta sexta-feira que o PSDB já defina na convenção nacional do partido que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, seja o candidato tucano a presidente em 2018 como forma de recuperar o tempo perdido em relação aos demais concorrentes de outras siglas.

No próximo dia 9, os tucanos se reúnem para escolher a nova direção do partido e confirmar a já esperada eleição de Alckmin para o comando da legenda. Também devem decidir pelo desembarque do governo do presidente Michel Temer.

Doria citou entre os concorrentes diretos que já largaram na frente com suas candidaturas à Presidência da República o ex- presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, e o deputado federal Jair Bolsonaro, que está deixando o PSC. Ciro Gomes, do PDT, é outro potencial candidato que já está rodando o Brasil com suas posições e propostas para o país.

Para o prefeito de São Paulo, o governador de Goiás, Marconi Perillo, e o senador Tasso Jereissati (CE) já mostraram grandeza ao abrirem mão de suas candidaturas para o comando do partido, e chegou a hora de o partido entender que é preciso lançar o nome de Alckmin à Presidência da República.

“Eu não sou contra as prévias, até porque sou fruto delas. Mas entendo que o momento político hoje exige uma convergência”, disse Doria a jornalistas em evento no Rio de Janeiro.

“Acho que uma postura de grandeza é que todos aqueles que poderiam ser pré-candidatos abrissem mão em prol de Geraldo Alckmin para que ele seja o candidato do PSDB à Presidência da República. Esse será meu gesto e minha atitude. Não sou contra as prévias mas seria melhor não tê-las para o PSDB rodar sua campanha e ganhar tempo”, acrescentou.

O prefeito de São Paulo pediu bom senso aos demais pré-candidatos do PSDB que pretendem participar das prévias, e citou nominalmente o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio.

“Se quisermos ter respeito pela grandeza de pensar no Brasil podemos consagrar no dia 9 não só o presidente do PSDB mas também o candidato do PSDB à Presidência da República… temos que consolidar isso na convenção para que a partir de janeiro o PSDB possa estar mobilizado nacionalmente, fazer suas alianças e construir uma frente partidária pelo Brasil”, ressaltou.

Doria chegou a se movimentar, com várias viagens pelo país, para tentar viabilizar seu nome como candidato do PSDB à Presidência, mas depois de sofrer críticas no partido e na gestão da cidade de São Paulo, o prefeito se recolheu e parece mais focado na administração da cidade e a uma possível candidatura ao governo do Estado.

(Reportagem Rodrigo Viga Gaier)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos