Ex-membros do governo da Catalunha comparecerão à Suprema Corte nesta sexta-feira

MADRI (Reuters) - Oito ex-membros do gabinete catalão, atualmente detidos enquanto aguardam julgamento, comparecerão à Suprema Corte nesta sexta-feira, após solicitarem sua liberação antes de uma eleição regional que acontecerá no dia 21 de dezembro, desencadeada por um contestado referendo de independência.

O vice-presidente destituído da Catalunha, Oriol Junqueras, um dos principais candidatos do partido Esquerda Republicana da Catalunha (ERC) para a eleição, pediu autorização para deixar a cadeia para fazer campanha para a votação convocada por Madri.

Junqueras e outros sete ex-membros do gabinete regional da Catalunha foram detidos no dia 2 de novembro para aguardar julgamento de acusações de insubordinação, rebelião e apropriação indevida de fundos depois que o governo catalão declarou independência da Espanha.

O referendo do dia 1º de outubro, considerado inconstitucional por Madri, e a subsequente proclamação de independência da rica região arrastou a Espanha para a pior crise política em décadas e levou o governo central a impor controle direto sobre a Catalunha.

Todos os oito ex-membros do gabinete disseram que obedecerão à decisão que deu a Madri o controle sobre a região, de acordo com seus advogados, embora alguns tenham dito que não concordam com essa ação sem precedentes que retirou o poder do governo rebelde.

A campanha para a eleição do dia 21 de dezembro, vista por partidos pró-independência como um plebiscito de fato para a separação da Espanha, começa na noite de segunda-feira.

(Reportagem de Sonya Dowsett)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos