Papa ordena padres em Bangladesh antes de encontro com rohingyas

Por Krishna N. Das

DACA (Reuters) - O papa Francisco realizou uma enorme missa ao ar livre nesta sexta-feira para ordenar novos padres em seu primeiro dia inteiro em Bangladesh, onde deve se reunir com refugiados muçulmanos rohingyas de Mianmar até o final do dia.

Mais de 100 mil pessoas compareceram à missa no Parque Suhrawardy Udyan de Daca, que abriga um memorial e um museu da independência bengalesa do Paquistão em 1971 e ao qual Francisco chegou em um papamóvel aberto.

Os católicos representam menos de 1 por cento dos 169 milhões de habitantes de Bangladesh, nação de maioria muçulmana.

"Sei que muitos de vocês vieram de longe, para uma viagem de mais de dois dias", disse o papa à multidão em sua homilia.

"Obrigado por sua generosidade. Isso indica o amor que vocês têm pela Igreja."

Em uma reunião ecumênica a ser realizada mais tarde nesta sexta-feira, o papa deve se encontrar com 18 refugiados rohingyas que fugiram para Bangladesh saindo de Mianmar, cujas autoridades foram acusadas pelos Estados Unidos e pela Organização das Nações Unidas (ONU) de faxina étnica.

O governo nega qualquer ilegalidade.

    Nos pedidos de paz em Mianmar, ele não usou a palavra rohingya para descrever os refugiados, já que ela é contestada pelo governo de Yangon e pelos militares.   

Os refugiados foram levados de Cox's Bazar, para onde 625 mil rohingyas de Rakhine, um Estado de Mianmar, fugiram, à capital de Bangladesh.

O êxodo ocorreu na esteira de uma operação de repressão militar em reação a ataques de militantes rohingyas a uma base do Exército e a postos de segurança da polícia em 25 de agosto.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos