Fontes partidárias dizem que ex-presidente iemenita Saleh morreu em combates na capital

SANAA (Reuters) - O ex-presidente iemenita Ali Abdullah Saleh morreu durante combates com a milícia houthi, que tem apoio do Irã, na capital Sanaa, noticiou a televisão saudita Al-Arabiya nesta segunda-feira, citando fontes do partido de Saleh.

A Al Arabiya citou uma fonte do Congresso Geral do Povo de Saleh, segundo a qual ele foi morto por disparos de franco-atiradores. Um vídeo dos houthis distribuído nas redes sociais mostrou o que pareceu ser o corpo do ex-líder, envolto em roupa cinza e sendo transportado em um cobertor vermelho com uma ferida profunda na lateral da cabeça.

Imagens sem verificação que circularam mais cedo nas redes sociais mostraram milicianos armados desenrolando um cobertor com o corpo e gritando "Deus seja louvado!" e "Ei, Ali Affash!", outro sobrenome para Saleh.

A rádio do Ministério do Interior do Iêmen, controlada pelos houthis, foi a primeira a relatar a morte de Saleh, mas seu partido logo o negou à Reuters, dizendo que ele ainda lidera suas forças em Sanaa.

Mais cedo nesta segunda-feira, forças houthis explodiram a casa de Saleh em Sanaa e sofreram ataques aéreos de aviões de guerra da coalizão saudita pelo segundo dia, relataram moradores.

A campanha liderada pela Arábia Saudita, apoiada pelos Estados Unidos e outras Forças Armadas e inteligências ocidentais, já matou centenas de civis, mas não conseguiu consolidar nenhum grande avanço à coalizão durante seus quase três anos de esforço para recolocar Abd-Rabbu Mansour Hadi, o presidente iemenita reconhecido internacionalmente, no poder.

(Por Noah Browning e Sami Aboudi)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos