Trump diz estar desapontado por China permitir envio de petróleo à Coreia do Norte

David Brunnstrom e Susan Heavey

De Washington

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quinta-feira (28) estar "muito desapontado pelo fato de a China estar permitindo a entrada de petróleo na Coreia do Norte", e que isso impede uma solução amigável para a crise do programa nuclear norte-coreano.

"Muito desapontado que a China esteja permitindo que petróleo vá para a Coreia do Norte. Nunca vai haver uma solução amigável para o problema da Coreia do Norte se isso continuar a acontecer", escreveu Trump no Twitter.   

Mais cedo a China disse que não há qualquer sanção da ONU impedindo a venda de petróleo para a Coreia do Norte, após um jornal sul-coreano dizer que embarcações chinesas e norte-coreanas estão se conectando ilegalmente no mar para fornecer petróleo para a Coreia do Norte.   

O governo Trump vem liderando uma iniciativa para intensificar sanções globais contra Pyongyang, que tem mantido esforços para desenvolver mísseis com ogivas nucleares capazes de atingir os EUA.   

Washington diz que a cooperação plena da China, vizinha e principal parceira comercial da Coreia do Norte, é vital para o sucesso da iniciativa, mas alertando que todas as opções são cogitadas, inclusive as militares, para lidar com o regime.   

Na semana passada o Conselho de Segurança da ONU decidiu unanimemente adotar novas sanções contra a Coreia do Norte devido a um teste recente de míssil balístico intercontinental (ICBM, na sigla em inglês), tentando limitar ainda mais seu acesso a derivados de petróleo refinado e bruto.   

A resolução da ONU visa proibir quase 90 por cento das exportações de petróleo refinado para Pyongyang, estabelecendo um teto de 500 mil barris por ano.   

A medida delineada pelos EUA também pede um teto de 4 milhões de barris de petróleo bruto por ano para o país e exorta o Conselho de Segurança a adotar novas reduções caso os norte-coreanos realizem outro teste nuclear ou lancem outro ICBM.   

A China vem repetindo que está aplicando totalmente as resoluções contra a Coreia do Norte, apesar de Washington, Seul e Tóquio desconfiarem de que ainda existem brechas.   

Indagado durante um boletim de rotina à imprensa se navios chineses estão fornecendo petróleo ilegalmente a navios norte-coreanos, o porta-voz do Ministério da Defesa da China, Ren Guoqiang, reiterou que seu país, inclusive os militares, aplica rigidamente as resoluções da ONU.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos