Presidente da Bulgária veta lei anticorrupção

SOFIA (Reuters) - O presidente da Bulgária, Rumen Radev, vetou nesta terça-feira uma legislação anticorrupção aprovada pelo Parlamento, dizendo que o projeto de lei não ofereceu os meios para se investigar de forma eficaz as redes de corrupção no país.

Radev se posicionou um dia depois de a Bulgária, o país mais pobre da União Europeia, assumir a Presidência rotativa de seis meses do bloco pela primeira vez desde que se filiou, em 2007.O país do Mar Negro fez poucos progressos para conter a corrupção e o crime organizado, e a Comissão Europeia, Poder Executivo da UE, o repreendeu várias vezes por não processar e condenar autoridades supostamente corruptas.De acordo com a Transparência Internacional, a Bulgária é a nação mais corrupta do bloco.A legislação anticorrupção, aprovada pelo Parlamento em 20 de dezembro, implicava na criação de uma unidade especial anticorrupção que investigaria pessoas ocupando altos cargos públicos, além de ativos e conflitos de interesse.Mas analistas disseram que a objetividade da unidade poderia ser limitada pelo fato de que, em obediência à legislação, sua administração seria indicada pelo Parlamento, e que por isso poderia não ser verdadeiramente independente e ser usada pelos ocupantes do poder para perseguir oponentes."Acredito que a lei adotada não somente não cria uma base legal adequada para se lidar com a corrupção, mas até dificultará combatê-la", disse Radev, que foi eleito em novembro de 2016, em um comunicado."Sem dúvida o presidente tem argumentos fortes (para vetar a lei)", disse o analista político Petar Cholakov.Mas alguns analistas acreditam que o Parlamento derrubará o veto presidencial.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos