Aumento de crimes violentos na Alemanha é associado a refugiados, diz estudo

Por Riham Alkousaa

BERLIM (Reuters) - Jovens refugiados foram responsabilizados nesta quarta-feira pela maior parte de um aumento de crimes violentos na Alemanha, alimentando o debate político do país sobre imigrantes.

Crimes violentos no país subiram cerca de 10 por cento em 2015 e 2016, indicou um estudo, que atribuiu mais de 90 por cento dessas ocorrências a rapazes refugiados.

O levantamento observou, entretanto, que imigrantes de países abalados por guerras, como a Síria, tem muito menos probabilidade de cometer um crime violento do que aqueles de outros lugares, que provavelmente não conseguirão asilo.

A imigração será uma questão chave nas iminentes conversas de coalizão entre os conservadores da chanceler alemã, Angela Merkel, e o Partido Social-Democrata (SPD), de centro-esquerda. A chegada de mais de um milhão de imigrantes desde meados de 2015 prejudicou as duas legendas na eleição de setembro.

O estudo patrocinado pelo governo mostrou um salto nos crimes violentos cometidos por imigrantes homens com idade entre 14 e 30 anos.

Christian Pfeiffer, um especialista em criminologia e um dos pesquisadores do estudo, disse à rádio Deutschlandfunk que há grandes diferenças entre vários grupos de refugiados, dependendo de onde eles vem e de quão grande são suas chances de permanecer e conquistar um status legal na Alemanha.

Solicitantes de asilo que são vistos como refugiados de guerra têm relativamente mais chances de permanecer na Alemanha e por isso tendem a evitar problemas, indicou o estudo.

(Reportagem de Riham Alkousaa)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos