China alerta para segunda onda de neve após suspender alerta de nevasca

XANGAI/PEQUIM (Reuters) - A China alertou a população para uma segunda onda de neve e granizo que se abaterá sobre partes do norte, do centro e do leste do país nesta sexta-feira, após uma nevasca recorde que paralisou várias regiões.

A neve intensa vem causando estragos no centro e no norte da China desde terça-feira e já matou 10 pessoas, afetando as vidas de mais de meio milhão de habitantes de cinco províncias, de acordo com a agência estatal de notícias Xinhua.A agricultura também foi prejudicada pelos piores fenômenos climáticos do inverno atual, e as perdas econômicas já atingiram o equivalente a 79 milhões de dólares. 

O Centro Meteorológico Nacional suspendeu um alerta de nevasca, mas disse prever uma precipitação de neve entre leve e moderada em boa parte do norte entre esta sexta-feira e domingo.A neve também prejudicou o transporte público e o fornecimento de eletricidade, danificou linhas de transmissão de energia e fechou estradas, aeroportos e escolas em partes do centro da China.Suizhou, uma cidade pequena de 2,5 milhões de habitantes situada no norte da província central de Hubei, ficou totalmente sem eletricidade devido à neve pesada, segundo a emissora estatal China Central Television.As temperaturas devem chegar a 5 graus Celsius negativos em Suizhou nesta sexta-feira. Hubei, que não tem infraestrutura de aquecimento central, ao contrário de outras províncias do norte, testemunhou um pico no consumo de eletricidade para aquecimento, de acordo com a CCTV.Na quinta-feira ao menos três aeroportos foram fechados e nove tiveram longos atrasos por causa da queda de neve.Vários trens de alta velocidade de Xangai e Pequim também se atrasaram ou foram cancelados na quinta-feira, e rodovias das províncias de Jiangsu, Henan, Shaanxi e Hubei também foram interditadas, noticiou o jornal China Daily.

Os telhados de vários terminais de ônibus de Hefei, capital da província de Anhui, desabaram por causa da neve, o que causou ao menos uma morte, informou o jornal. A província teve um recorde de 30 centímetros de neve na quinta-feira.Em contraste, Pequim está seca e muitas partes do norte chinês estão recebendo pouca ou nenhuma neve.(Por David Stanway, em Xangai, e Michael Martina, em Pequim; Reportagem adicional de Judy Hua, Ryan Woo, Brenda Goh e Zhang Min)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos