Topo

Europa recebeu em 2017 metade dos imigrantes de 2016, diz agência

05/01/2018 15h01

Por Stephanie Nebehay

GENEBRA (Reuters) - A Europa recebeu em 2017 pouco menos da metade dos imigrantes que acolheu em 2016, disse a Organização Internacional para as Migrações (OIM) nesta sexta-feira, já as restrições adotadas finalmente diminuíram o tráfego na rota mortal entre a Líbia e a Itália.Dois anos depois de mais de um milhão de pessoas entrarem na União Europeia, a maioria fugindo de guerras no Oriente Médio e da pobreza na África, a OIM registrou 171.635 chegadas por barco em 2017 – em 2016 a cifra foi de 363.504.O maior fluxo de refugiados e imigrantes na Europa desde a Segunda Guerra Mundial casou uma crise política e humanitária dois anos atrás.Desde então, a principal rota do leste do mar Mediterrâneo, situada entre a Turquia e a Grécia, foi essencialmente interrompida graças a um acordo entre a UE e Ancara.A redução do tráfego foi mais lenta no outro extremo da rota, que atravessa o centro do Mediterrâneo partindo do norte da África rumo à Itália e na qual milhares de pessoas morreram no mar, mas os números só começaram a recuar acentuadamente na segunda metade do ano.As chegadas por mar às praias italianas representaram a maioria em 2017: 119.310 no total, um terço a menos do que no ano anterior, informou o Ministério do Interior da Itália em 31 de dezembro.