Frio brutal assola leste dos EUA após nevasca

Por Scott Malone e Gina Cherelus

BOSTON/NOVA YORK (Reuters) - Um manto de ar ártico cobriu a Costa Leste dos Estados Unidos e o Meio-Oeste neste sábado, criando condições perigosas enquanto milhares de pessoas lutam para se recuperar de uma nevasca que levou neve a muitas áreas nesta semana.

Alertas de frio e congelamento se alongaram da Flórida até a Nova Inglaterra e a Estados do Norte e do Meio-Oeste, conforme o Serviço Nacional de Meteorologia alertava para chuvas congelantes de Kansas a Ohio.

Em algumas áreas, autoridades alertaram aos moradores que uma pele exposta poderia congelar em alguns minutos.

Cidades desde Houston a Boston aumentaram os esforços para levar moradores de rua a abrigos.

A onda de frio complicou os esforços das equipes que limpavam a neve e o gelo das estradas após uma nevasca ter atingido a Costa Leste na quinta e na sexta-feira, forçando centenas de escolas a fecharem e levando linhas de trem a suspenderem ou reduzirem seus serviços.

Killington, famoso resort de ski de Vermont, fechou no sábado, ainda que as condições de neve estivessem excelentes, afirmando que a sensação térmica nas encostas estava em pelo menos 46 graus Celsius negativos.

O frio brutal em partes da Costa Leste e do Meio-Oeste não mostrava sinais de diminuição neste final de semana, mas um alívio deve começar na segunda-feira, disse o meteorologista Bob Oravec, do Centro de Previsões Climáticas, órgão do Serviço Nacional de Meteorologia com sede em Maryland. Antes disso, as condição devem piorar.

Entre os lugares mais frios no país neste sábado estavam pequenas cidades de Minnesota como Cotton e Embarrass, onde o mercúrio despencou para -39 C, disse Oravec. 

A primeira tempestade de neve da região em 2018 teve rajadas de mais de 113 quilômetros por hora, acumulando 56 centímetros de neve em partes de Maine e 43 centímetros em partes de Massachusetts, antes de acabar na sexta-feira, disse o Serviço Nacional de Meteorologia.

A tempestade foi alimentada por uma rápida queda na pressão barométrica que alguns meteorologistas chamaram de bombogênesis ou um "ciclone bomba".

O frio intenso e a neve foram apontados como culpados por pelo menos 18 mortes nos últimos dias, incluindo quatro em acidentes de trânsito na Carolina do Norte e três no Texas.

(Reportagem adicional de Alex Dobuzinskis, em Los Angeles, Brendan O'Brien, em Milwaukee, e Harriet McLeod, em Charleston, na Carolina do Sul)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos