Até 64 migrantes morrem afogados depois de deixar a Líbia, diz ONG

CATÂNIA, Itália (Reuters) - Até 64 migrantes morreram na costa da Líbia no fim de semana quando o frágil barco em que estavam afundou, disseram grupos humanitários nesta segunda-feira, depois de conversar com sobreviventes levados para a Itália.

Oitenta e seis pessoas foram lançadas do bote de borracha danificado no sábado e oito corpos, todos de mulheres, foram recuperados. No entanto, o barco transportava 150 migrantes, disseram os sobreviventes, com muitos dos mortos desaparecendo sob as ondas.

"Entre eles, havia muitas crianças que se acredita terem se afogado no mar", disse a organização Médicos Sem Fronteiras no Twitter. "Entre os sobreviventes havia uma criança de três anos que perdeu sua mãe e chegou sozinha, e uma família de 11 que agora é uma família de três."

A guarda costeira italiana disse que os migrantes foram vistos na manhã de sábado por um avião que patrulha os mares em função de uma operação europeia contra o tráfico de refugiados. O pessoal de resgate acredita que o bote desinflou devido a um furo.

Esse tipo de botes são regularmente lotados de migrantes por traficantes de refugiados que operam a partir da Líbia. As embarcações não foram feitas para conseguir cruzar o Mar Mediterrâneo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos