UE precisa de abordagem comum sobre investimento estrangeiro para ganhar respeito da China, diz Macron

PEQUIM (Reuters) - A Europa precisa de uma abordagem comum para proteger seus bens estratégicos contra aquisições estrangeiras se quer ser respeitada pela China, disse o presidente da França, Emmanuel Macron, nesta quarta-feira.

Na última etapa de sua visita de três dias à China, Macron pediu que líderes de outros países da União Europeia tenham mais cuidado com os bens que permitem que sejam adquiridos.

"A Europa tem frequentemente se mostrado dividida em relação à China", disse Macron em Pequim. "E a China não vai respeitar um continente, uma potência, quando alguns Estados-membros deixam suas portas livremente abertas".

Macron está pressionando para que investimentos estrangeiros em setores estratégicos da região sejam avaliados a nível da União Europeia, mas muitos Estados-membros do bloco mais pobres, que dependem do investimento chinês, tentam enfraquecer a posição do líder francês.

"A China, que é uma grande potência, não respeita um país que vende suas infraestruturas essenciais ao menor lance", disse.

A União Europeia espera que suas negociações sobre um pacto de investimento com a China atinja um "estágio decisivo" neste ano, disse o embaixador da UE para a China nesta quarta-feira, pedindo que Pequim cumpra com sua promessa de abrir sua economia para o mundo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos